Food.Coach | Alerta sobre a pandemia da obesidade!
187
single,single-post,postid-187,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-5.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.3,vc_responsive

Alerta sobre a pandemia da obesidade!

14066476-14066476-scale-overweight

14 set Alerta sobre a pandemia da obesidade!

A série de artigos examinou com cuidado o assunto e procurou abordar os vários aspectos desse tema tão complexo, incluindo desde fatores obesogênicos presentes no meio ambiente e da fisiologia da doença, até o âmbito econômico e ações políticas necessárias para mudar esse quadro.

O primeiro artigo da série expõe o prejuízo financeiro que o aumento da obesidade causa para o sistema de saúde de vários países. Em 2008, pesquisas mostraram 1,46 bilhões de adultos e 170 milhões de crianças em todo o mundo estavam com sobrepeso ou eram obesas. Nos EUA, onde a obesidade já se constitui em sério problema de saúde pública, se nada for feito para deter esse aumento, projeções estimam em 2030 os gastos adicionais com pessoas com doenças decorrentes da obesidade como diabetes, doenças cardíacas e derrames, além de câncer podem chegar a 48 bilhões de dólares.

No Brasil a situação não difere: o sobrepeso atinge mais de 30% das crianças entre 5 e 9 anos de idade, cerca de 20% da população entre 10 e 19 anos e nada menos que 48% das mulheres e 50,1% dos homens acima de 20 anos. Em 1980 o índice de massa corpórea (IMC) médio do homem brasileiro com 20 anos era 22,62, e em 2008 esse índice subiu para 25,78.

Bebidas e alimentos industrializados, como: refrigerantes, biscoitos, carnes processadas e comida pronta têm sido associados diretamente com o sobrepeso e a obesidade. Porém exposição à poluição, stress, falta de sono, desequilíbrio na flora intestinal e contato com substâncias conservantes e agrotóxicos que modulam o sistema endócrino também são fatores que agravam o problema. A mensagem que a série de artigos deixa é que o governo precisa intervir nesses fatores o quanto antes, pois os dados atuais são alarmantes.

Enquanto políticas globais não são colocadas em ação, lembre-se que uma dieta balanceada com frutas, legumes, verduras e grãos é muito importante para combater e prevenir a obesidade, porém adotar um estilo de vida saudável incluindo 6 horas de sono diárias e atividades físicas regulares também são essenciais na luta contra essa epidemia.