Segundo a pesquisa, apresentada na reunião anual das Pediatric Academic Societies dos Estados Unidos, crianças com níveis de vitamina D inferiores a 20 nanogramas por mililitro (ng/ml) de sangue apresentaram risco 50% maior de contrair anemia do que as com níveis mais elevados. Para cada 1 ng/ml a mais da vitamina, o risco de anemia caiu 3%.

A anemia é uma deficiência no tamanho ou número de células que transportam oxigênio (hemácias) e é diagnosticada pelo nível de hemoglobinas. Quando não tratada pode danificar órgãos vitais por privação de oxigênio.

Para prevenir a anemia sugerimos que as crianças consumam diariamente uma porção de carne bovina, ou frango ou peixe; juntamente a vegetais folhosos de cor verde escura, como: rúcula, agrião, couve; e acompanhe as refeições com suco de laranja ou de frutas cítricas. A vitamina C dos sucos sugeridos melhora a absorção de ferro. Por outro lado, evite oferecer ao seu filho alimentos ricos em cálcio entre 2 horas antes e depois dessas refeições ricas em ferro, pois o cálcio prejudica a absorção do ferro.

Já para prevenir a deficiência de vitamina D à maneira mais simples é a exposição diária ao sol de pelo menos 30 minutos. Protetores e filtros-solares não impedem que a vitamina seja produzida. Caso seja inviável essa exposição, é possível obter a vitamina através de alimentos como: peixes gordurosos (salmão, sardinha e atum), ovos e cogumelos.